NOTICIAS AO MINUTO ūüĒĶ Advogados da Benfica SAD surpreendidos com decis√£o no caso ‘Saco Azul’ – Shango Media
Football-FRONT-PTFootball-URGENT-PT

NOTICIAS AO MINUTO ūüĒĶ Advogados da Benfica SAD surpreendidos com decis√£o no caso ‘Saco Azul’

¬ę¬†Naturalmente que n√£o me pareceu bem e evidentemente n√£o era isto que est√°vamos √† espera. Foi uma decis√£o que √© ineg√°vel dizer que n√£o cont√°vamos. N√£o tivemos essa capacidade de fazer transmitir ao senhor juiz de instru√ß√£o criminal a muita prova que produzimos em instru√ß√£o. O senhor juiz de instru√ß√£o criminal resolveu fundamentar a pron√ļncia com base nos argumentos que, sem contradit√≥rio, j√° detinha no inqu√©rito¬†¬Ľ, real√ßou o advogado dos arguidos, √† sa√≠da do Tribunal de Instru√ß√£o Criminal, em Lisboa.

O tribunal corroborou na √≠ntegra a acusa√ß√£o do Minist√©rio P√ļblico, que imputava aos arguidos Lu√≠s Filipe Vieira, Domingos Soares de Oliveira e Miguel Moreira, na acusa√ß√£o, um total de tr√™s crimes de fraude fiscal qualificada e 19 de falsifica√ß√£o de documentos.

Estes crimes são imputados em coautoria com a empresa QuestãoFlexível e o arguido José Bernardes, enquanto a SAD do Benfica foi pronunciada em dois crimes de fraude fiscal e a Benfica Estádio um crime de fraude fiscal e 19 de falsificação de documentos.

¬ę¬†Resta-nos ir a julgamento e a√≠ discutir prova a prova e suportar a inoc√™ncia dos nossos clientes, como pugnamos¬†¬Ľ, sublinhou Jo√£o Medeiros, que refor√ßou ainda a inexist√™ncia de um ‘saco azul’ na acusa√ß√£o, assente somente em ¬ę¬†refer√™ncias¬†¬Ľ durante a instru√ß√£o.

De acordo com o juiz de instru√ß√£o, ¬ę¬†os arguidos n√£o forneceram informa√ß√Ķes cred√≠veis na fase de inqu√©rito¬†¬Ľ e tinham ¬ę¬†plena consci√™ncia das faturas emitidas pela aparente presta√ß√£o de servi√ßos¬†¬Ľ, podendo ser ¬ę¬†altamente prov√°vel a condena√ß√£o dos arguidos¬†¬Ľ.

¬ę¬†Existem os servi√ßos ativos da realiza√ß√£o de presta√ß√Ķes, que foram feitas, e tamb√©m o servi√ßo contratado de disponibilidade, que √© como um seguro e esperamos nunca ter de o usar. Se acontecer um evento danoso, ent√£o a√≠ acionamos o seguro. No entanto, a esperan√ßa quando contratamos qualquer seguro √© nunca ter de o utilizar. Assim era um dos contratos celebrados¬†¬Ľ, explicou o advogado, em rela√ß√£o √† base deste processo.

Partilhe a notícia

Bouton retour en haut de la page
Fermer